Oficina: Acessibilidade na Comunicação: conhecendo os recursos e ferramentas com Kemi Oshiro

QUINTA-FEIRA: 26/10/2018 (14h às 18h)

LOCAL: UNESP-BAURU/ FAAC- Central de Laboratório de Informática /Mundo Perdido (LAB 03)

35 VAGAS

Inscrições GRATUITAS pelo e-Mail: lucinea@rocketmail.com

Organização do evento: Grupo de Pesquisa MATAV (Mídia Acessível e Tradução Audiovisual)

Ofineira: Kemi Oshiro (OVNI Acessibilidade Universal – Porto Alegre-RS)

Durante a oficina, os participantes poderão compreender melhor a temática da acessibilidade na comunicação. Serão apresentadas ferramentas existentes e como melhor aplicá-las em uma comunicação eficaz. A partir de exemplos, haverá exercícios práticos com audiodescrição.

Kemi Oshiro é formada em Jornalismo pela PUCRS desde 2006. Em 2014, concluiu um Máster em Estudos em Cinema e Audiovisual Contemporâneos, na Universidade Pompeu Fabra, em Barcelona – Espanha. Foi capacitada a atuar em projetos de audiodescrição por Viviane Sarraf, de São Paulo/SP, na Fundação Dorina Nowill para Cegos em 2012 e em 2015, formou-se na primeira turma de Especialização em Audiodescrição, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Tem experiência em produção, narração e roteiro de audiodescrição para eventos ao vivo (teatro, exposições, espaços expositivos, fóruns e seminários, entre outros) e produtos audiovisuais gravados (animações, filmes publicitários, ficções e documentários em curta-metragem). Atualmente é graduanda em Letras, no Bacharelado em Tradução e Interpretação Português – Língua Brasileira de Sinais (Libras) na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e aluna da Especialização em Legendagem para Surdos e Ensurdecidos, pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Além disso, é produtora, apresentadora de TV, locutora de rádio e ledora. Cinéfila inveterada, atriz nas horas vagas, gosta de correr e de escutar Ramones. Seu vício é brigadeiro, mas, acima de tudo, viajar.

 

Divulgação Oficina

 

Anúncios

Novo artigo sobre audiodescrição

Saiu meu novo artigo no Dossiê de Tradução Audiovisual da revista Trabalhos em Linguística Aplicada: “Audiodescrição sem pudores: acessibilidade aplicada a cenas eróticas e sensuais do filme Praia do Futuro”.

https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/issue/view/1411

Analiso algumas cenas eróticas do filme Praia do Futuro e as lindas escolhas feitas pelas audiodescritoras brasileiras. Um trabalho bacana.

praiadofuturo

 

Palestra de Leandra Migotto Certeza

A jornalista Leandra Migotto Certeza, jornalista de São Paulo, foi convidada pelo grupo MATAV para apresentar a palestra “Acessível para quem?: O papel dos profissionais de comunicação em busca de uma mídia realmente inclusiva” no módulo de Especialização “Linguagem, Cultura e Mídia”, ministrado pela docente Profa. Dra. Lucinéa Villela. A palestra ocorreu no dia 21 de outubro com participação dos alunos do curso de Lato Sensu.

Durante a palestra, a jornalista e blogueira, que nasceu com uma deficiência rara conhecida como “ossos de cristais”, contou de forma descontraída sua trilha para se formar em Jornalismo e atuar profissionalmente em revistas segmentadas. Houve grande participação dos discentes nas duas horas de bate papo com Leandra.

Sua batalha de décadas desde sua infância até ser reconhecida no meio profissional serve de exemplo para todas as pessoas com deficiência que possuem um sonho de cursar uma universidade e seguir a profissão de seus sonhos.

Além da palestra, a jornalista também deu duas entrevistas na TV UNESP.

leandra

.

Livro: Recursos de acessibilidade aplicados ao ensino superior

185cientoochentaycinco

Capa-Acessibilidade_Laranja

Desde 2014, faço parte da pesquisa em rede “ACESSIBILIDADE NO ENSINO SUPERIOR: da análise das políticas públicas educacionais ao desenvolvimento de mídias instrumentais sobre deficiência e inclusão” financiada pela CAPES e que está inserida no Programa Observatório em Rede (OBEDUC).

Em 2015 começamos a organizar um livro cuja temática tem como enfoque recursos de acessibilidade aplicado no Ensino Superior. Fiz parte da organização do livro junto com as pesquisadoras Lúcia Pereira Leite e Sandra Eli Sartoreto de Olibeira Martins.

Temos agora o livro  disponível como recurso eletrônico em formato pdf no link do nosso projeto.

http://www.acessibilidadeinclusao.com.br/producoes/publicacoes/organizacao-de-livros/

Agradecemos a todos os autores!

Ver o post original

Produção de recursos de acessibilidade por pessoas “sem deficiência”

185cientoochentaycinco

Como produzir recursos de acessibilidade com qualidade para pessoas cegas ou surdas sem que tenhamos a mesma deficiência? Esta questão sempre é levantada em nossas pesquisas, seminários e nas produções que realizamos no nosso grupo de pesquisa MATAV (Mídia Acessível e Tradução Audiovisual).

Parte de minha pesquisa de Pós Doutorado na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB) foi centrada em conhecer pesquisadores na área de Tradução Audiovisual & Acessibilidade e debater com eles questões teóricas e práticas que são bastante polêmicas atualmente. Tive a oportunidade de entrevistar dois docentes que atuam de forma bem dinâmica em Tradução Audiovisual na Europa. As entrevistas serão publicadas em periódicos brasileiros, a primeira já no mês de setembro com Anna Matamala e a com Pablo Romero-Fresco será publicada um pouquinho mais para frente.

ANNA MATAMALA - UAB - Barcelona

A Profa. Dra. Anna Matamala é minha supervisora aqui na UAB, tem uma carreira extensa como tradutora para dublagem em canais da TV Catalã…

Ver o post original 455 mais palavras